Cartografia Emotiva

O ESPAÇO

O Bar Stella Artois foi concebido buscando revelar a memória do local, resquícios das edições anteriores da Casa Cor e dos eventos que ali aconteceram. Paredes e piso guardam marcas dessa história, com restos de papel de parede, buracos, canos aparentes, superfícies inacabadas e as marcas do tempo. Escolheu-se não utilizar quase nenhum revestimento. O terraço busca valorizar a vista do Jóquei Clube, voltando-se para o skyline da Marginal Pinheiros e celebrar a cidade. O salão interno no entanto, é um convite à introspecção. A curadoria de móveis, objetos e protótipos sugere uma aula pelo design contemporâneo brasileiro, misturando peças icônicas de nomes consagrados como Sérgio Rodrigues, Percival Lafer e Jean Gillon, com designers emergentes e a nova geração, como Zanini de Zanine, Rodrigo Almeida, Carol Gay, Neute Chvaicer, Hugo Sigaud, Nada se Leva, Leo Capote, Superlimão, Lucas Neves, Paulo Alves, Fetiche, Maurício Arruda, Mono, Rodrigo Kurhi, Cristhian Grego, Marko Brajovic, além de obras dos artistas Felipe Morozini, Kleber Matheus, Rodrigo Bueno, do grafiteiro Tec e tapeçaria de Rubem Dario. Guto Requena expõe pela primeira vez o protótipo original do seu primeiro produto criado em 2007, as Mesas Joly. Os 12 bancos do Bar interno foram criados a partir de bancos comuns de madeira, que num processo de “hackeamento” receberam pés bolas de madeira feitos em torno para ficarem 10 cm mais altos, e foram vestidos com um novelo de seda primitivo, tecido por bichos da seda cultivados no Sul do Brasil e tingidos com material orgânico, como cebola, beterraba e terra.

A OBRA INTERATIVA

Concebida por Guto Requena e criada coletivamente com os artistas Rita Wu, Dimitre Lima, Luka Brajovic e com projeção mapeada de Eduzal, a obra transforma o ambiente num espaço híbrido, um imenso observatório de emoções. Essa projeção mapeada (de 30m X 10m) apresenta graficamente a coleta em tempo real feita na internet (Twitter e Instagram) de hashtags de emoções postadas em português. É possível visualizar quais emoções as pessoas postam, o que falam e suas imagens. Uma música generativa (feita pelo computador, que nunca terá fim) é criada também em tempo real como resposta à essas hashtags. Um grupo de 6 emoções básicas do homem, conforme definição do Psicólogo Dr. Phillip Shaver (2001), são visualizadas na projeção:

#AMOR #ALEGRIA #SURPRESA #RAIVA #MEDO #TRISTEZA

Os visitantes são convidados a beber uma cerveja e contemplar essa obra com comportamento visual e sonoro gerados em tempo real pelas emoções das pessoas na internet. Cada post orbita em volta da emoção correspondente. Aquela mais postada cresce visualmente na parede, permitindo entender qual emoção predomina no momento e relacioná-la com fatos políticos, históricos e culturais do nosso dia. Por exemplo, estaríamos postando agora mais #RAIVA? Teria esse dado alguma relação com uma grande manifestação contra o atual governo? Ou #AMOR aparece mais hoje por ser dia dos namorados? Estamos com mais #MEDO devido uma notícia de falta de água no país? Ou a #ALEGRIA predomina por algum motivo especial? Encontra-se no espaço ainda, um sensor que permite que um visitante o toque para coletar seu batimento cardíaco, impactando diretamente na visualização e no comportamento da obra. Assim o público contribui postando hashtags sobre seu estado emocional, ou liberando dados vitais produzidos pelo seu corpo. Este projeto procura transcender questões de cunho meramente estético e convida as pessoas para uma experiência de imersão áudio visual, numa narrativa que reflete seus próprios comportamentos. Estamos todos conectados, somos todos feitos da mesma matéria. Todos somos um. O projeto para o Bar Interativo do Estudio Guto Requena apresenta uma reflexão sobre o futuro do design, que deve cada vez mais se pautar em emoções, redes, narrativas e memória. O Design está em crise, assim como todas as disciplinas que estimulam o consumo. O mundo não precisa de mais uma cadeira. Estabelecer uma relação afetiva entre a pessoa e o objeto estimula um ciclo de vida mais longo, o que pode ser chamado de sustentabilidade afetiva. Chega de celebrar o novo. O bom design conta uma boa história. Sejamos brasileiros, improvisados, autênticos, bem humorados. Sejamos nós mesmos, seja lá o que isso signifique. O futuro dos espaços é híbrido e interativo, uma mescla entre o concreto e o digital, o físico e o virtual – ambos reais. Somos todos ciborgues agora, fruto da mistura entre o orgânico e o tecnológico. As tecnologias digitais tem como papel fundamental nos tornar mais unidos, participativos e mais humanos. Estamos todos conectados.

THE SPACE

Bar Stella Artois reveals the memory of its location, the remnants of previous Casa Cor expos and the events that happened there. The terrace offers a privileged view of the Jockey Club and opens to the skyline of Marginal Pinheiros in celebration of the city. The interior space, by contrast, is an invitation to introspection. The bar´s furniture, functional objects and prototypes make up a curated survey of Brazilian contemporary design that mixes iconic pieces by established names like Sergio Rodrigues, Percival Lafer, Lina Bo Bardi and Jean Gillon with emerging designers and the next generation, including Zanini de Zanine, Rodrigo Almeida, Carol Gay, Neute Chvaicer, Hugo Sigaud, Nada se Leva, Leo Capote, Superlimão, Lucas Neves, Paulo Alves, Fetiche, Maurício Arruda, Mono, Rodrigo Kurhi, Cristhian Grego and Marko Brajovic, as well as the works of artists Felipe Morozini, Kleber Matheus and Rodrigo Bueno, the graffiti artist Tec and the textile artist Ruben Dario. Guto Requena is showcasing here for the first time the original prototype of his first designed object, from 2007, the Joly Tables. The 12 benches of the indoor bar were created from ordinary wooden benches that have been “hacked” with the addition of ball feet which raise them 10cm, and upholstered with raw silk produced by silkworms in southern Brazil and dyed with organic material such as onions, beets and earth.

THE INTERACTIVE ART INSTALLATION

Conceived by Guto Requena, created in collaboration with artists Rita Wu, Dimitre Lima and Luka Brajovic, and mapped projection by Eduzal, this work transforms the environment into a hybrid space, a vast emotion observatory. A projection of 30 meters by 10 meters graphically displays the real-time flux of Instagrams and Twitter hashtags of emotions posted in Portuguese. It’s possible to view what emotions people are posting, their images and what they are saying. Generative music (i.e., continuous, ever-changing and system-based) is simultaneously produced from the input of these posts. The six basic human emotions, as defined by psychologist Phillip Shaver (2001), are visualized in the projection:

#LOVE #JOY #SURPRISE #ANGER #FEAR #SADNESS

Each post orbits around a corresponding emotion projected on the walls and ceiling. Clusters of more frequent postings grow proportionally, allowing participants to discern prevailing emotions as they occur in response to developing political, historical and cultural events. For example, if we posted #ANGER, could this be in reaction to large demonstrations against the current government in Brazil? Or if #LOVE appeared most frequently, could it be Valentine’s Day influence? Could #FEAR indicate news of water shortages in the country? Or what if #JOY were ascendant for some particular reason? This space includes a touch-activated sensor that allows a visitor’s heartbeats to directly affect the visualization and behavior of the work. In this way, the public contributes via postings on their emotional states, or through vital data produced directly by their bodies. This project seeks to transcend purely aesthetic considerations and invite people into an immersive audiovisual experience with a narrative that reflects their own behavior. We are all connected, and are made of the same material. We are all one. The Interactive Bar designed by Estudio Guto Requena offers a reflection on the future of design which will increasingly be based on emotions, networks, narratives and memory. Design is in crisis, as are all disciplines that stimulate consumption. The world does not need another chair. Establishing affective relationships between people and objects extends objects’ life cycles, and cultivates what can be termed affective sustainability. Enough of celebrating the new. Good design tells a good story. We are Brazilian; improvising, authentic, good humored. And we will be ourselves, whatever this might imply. The future of built space is hybrid and interactive, a mix of the concrete and the digital, the physical and the virtual—and both equally real. We are all cyborgs now, resulting from the mixture of the organic and the technological. The purpose of digital technology is to make us more united, participatory and more human. We are all connected.

CREDITS

Total area: 320m2 Interior lounge, terrace and bathrooms Project concept and oversight: Guto Requena Estudio Guto Requena Team: Paula Molinari, Joana Telles, Patrícia Giufrida, André Romitelli, Martina Brusius Interactive installation: Rita Wu, Luka Brajovic, Dimitre Lima, Eduzal Consulting: Cauê Waneck Landscaping: Camila Opípari, Rulian Nociti

source:Estudio Guto Requena – EMOTIVE CARTOGRAPHY

Posted on 02/09/2015 in Entertainement, Fun, Interactivity, Places, Video Mapping

Share the Story

About the Author

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to Top